domingo, 7 de julho de 2013

Aquela Menina

Ideia trazida da escola Feita por uma problemática Nunca compartilhada 


Hey leitores invisíveis. Andei um bom tempo longe e talvez (tenha uma boa certeza disso), eu tenha mudado um pouco. Eu sinto a diferença, não só no meu modo de escrever, não estou me referindo apenas a vocabulário, mas no que eu escrevo e a intensidade das palavras nas coisas que me concentro. É estranho e inovador. Chama-se amadurecer para quem não sabe, e se você não tem sentindo coisas desse tipo, talvez faça parte deste grupo de pessoas.
Right, eu separei uma parte do dia de hoje para limpar meu quarto (pode cantar Aleluia a vontade). E encontrei algumas folhas com textos antigos meus espalhados pelos cadernos. Isso ativou a nostalgia em mim, caso queiram saber, meus Gasparzinhos leitores.
Well, boa parte deles vão para meu tumblr já que eu os escrevi seguindo um fluxo de pensamentos, que sinceramente, foram parar no papel por estarem fazendo confusão na minha mente, ou seja, eu não os entendo, apenas senti naquele momento. (Não que não me pertubem mais, claro.)
Parando com a introdução filosófica e enrolada, vou escrever logo o texto que achei adequado para postar em blog, que dizer, neste blog nem um pouco adequado em relação a blogs normais.

Com exatamente as mesmas palavras:

"Redação: O que é o beijo?
Acho beijos superestimados, mas as pessoas fazem dessa obsessão uma coisa banal. Quem nunca beijou deve ser "zoado" e quem já beijou deve beijar mais. Muita importância para um ato que o tratam como uma conquista trivial. Isso afeta pessoas que possuem um brilho como o do sol, gigante, caloroso, mas raramente é notado. Preferem luzes artificiais.

Sabe aquela menina de 11 anos, onde tudo é novo e vibrante para ela. Algumas compartilham experiências sobre isso, tudo começa a ficar diferente, mas ela não tem uma opinião formada sobre isso.
Aquela menina de 12 anos que começa a se acostumar com as mudanças. Ela é uma delas. Vive cercada de várias coisas, pessoas, mas não tem certeza se o que dizem é normal  para ela. E se ela gostar de ser assim, única?
Aquela menina de 13 anos que vive cercada por todos os lados até dentro dela e quer se controlar. Agora é normal falar sobre tudo, é comum ouvir todos os tipos de coisas, mas parece que é inaceitável não querer participar delas. É errado ter opinião sobre o que realmente acha importante. É errado escolher a outra opção, a que leva ninguém falar com ela. É certo não querer o que eles falam?
Aquela menina de 14 anos que continua a lutar da melhor forma possível. Mas na verdade ela já desistiu, nenhuma luta vai a ela. Ela quer deixar ser vencida e se sente uma inimiga por isso. O que a cercava por dentro estava se tornando um monstro e ela não sabe se quer matá-lo. Ela pensa se não chegou a hora de libertá-lo, de se libertar. De que tipo de prisão ela ainda não sabe, mas foi ela quem se prendeu."

Agora uma adicional, afinal, aquela menina já fez mais um aniversário.

"Aquela menina de 15 anos que tenta entender qual é a sua luta, quer descobrir se há alguma ou ela que a está criando. Talvez ela já tenha encontrado boa parte da sua definição, de quem ela é, mas o problema agora é como mostrá-lo. Ela sabe que a vida não é um palco, e se fosse, não saberia como encenar o roteiro que teve tanto trabalho para criar. Ela tem medo de perder a essência das próprias palavras, tem medo de deixar o mundo a atrair como um ímã e ela perder seu campo de força único. Ela tem medo de passar parte da vida tentando entender seu passado, tentado fazer uma ligação com o seu futuro e esquecer que a resposta é o agora. Ela só quer delimitar quem é ela,tanto em seu interior quanto em tudo que a cerca. Só quer ter consciência das guerras passadas para não embarcar na mesma derrota."

Aquela menina não quer classificá-la por idade, por viradas de ano, por  voltas do relógio. Talvez essa seja sua luta atual, e a certeza é de não querer gastar toda sua mente pensando nisso, nem abaixar a guarda e receber uma ferida. E essa menina está tendo mais uma filosofia de lago. Eu sei que a água está acabando, mas eu ficaria feliz se essa fonte secasse. Okay, espero que essa menina continua evoluindo e se definindo. Pelo menos evoluiu na escolha de imagens, chega de Google Imagens, o negócio agora é WeHeartIt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alimente uma bloggeira, NHAC.